Sankofa

E seu significado

Tempo de Leitura: 2 minutos

Se wo were fi na wosankofa a yenkyi é um provérbio africano do povo Akan, que significa que não é um tabu voltar para pegar aquilo que você perdeu. A palavra sankofa manda o recado de forma objetiva: san – voltar, retornar; ko – ir; fa – olhar, buscar e pegar. Ou seja: volte e pegue.

Sankofa também é um ideograma (símbolo que representa uma ideia) Adinkra. É um pássaro que voa para frente, mas tem a sua cabeça voltada para trás, muitas vezes tentando alcançar o ovo. Sankofa também pode ser representado por uma espécie de coração estilizado.

Sankofa, ideograma Adinkra que significa: volte e pegue. Pode ser representado por um pássaro ou por uma espécie de coração estilizado. O pássaro e seu significado foram a inspiração para a criação deste site, também chamado Sankofa

Cada ideograma possui um nome e significado. Representam provérbios e refletem costumes, valores e filosofias do povo Akan, transmitidos de geração em geração.

Os símbolos Adinkra são utilizados especialmente nos tecidos, como forma de expressão, transmissão de conhecimento, comunicação e sabedoria ancestral. É uma sociedade que valoriza a comunicação não-verbal.

Sankofa fala sobre a valorização das suas raízes. Sobre saber o que veio antes de você. Para o povo preto, pode ser um chamado ao resgate da ancestralidade.

Sankofa é conhecer o passado para entender o presente e construir um futuro melhor.

Onde fica Akan?

Pouco nos foi ensinado sobre a história da África antes da colonização, por isso, às vezes, é difícil entender suas divisões geográficas e políticas. Atualmente, o continente africano é formado por 54 países. Porém, essa divisão, forçada pela ocupação e exploração feita pelos países do continente europeu, não respeitou as divisões políticas, sociais, culturais, linguísticas e religiosas já estabelecidas antes da colonização.

Akan não é um país, mas sim um grupo formado por diversas etnias, como os Axantes, Acuapins, Bono e Baúles. Estão presentes em Gana e na Costa do Marfim. Enquanto colônia portuguesa, holandesa, britânica, sueca, dinamarquesa, o território era chamada de Costa do Ouro, em razão da abundância do recurso, um dos responsáveis pela ascensão comercial do povo Akan nos séculos anteriores à exploração europeia.