/

Marca humanizada de dentro para fora

Ter uma marca humanizada está na moda. Fazer posts em datas importantes gera engajamento e atrai seguidores. O que fazer para humanizar a sua marca? Saiba que não é somente o posicionamento na internet e nas redes que importa. A mudança é de dentro para fora. De nada adianta apenas parecer humanizada. Tem que ser.

Começar
Tempo de Leitura: 2 minutos

O que é uma marca humanizada?

Os usuários procuram se envolver com marcas e perfis que dialogam com a forma com que eles veem e experimentam o mundo. As interações robóticas e impessoais ficaram para trás. As empresas devem demonstrar empatia, transparência e mostrar que estão ligadas nas questões com as quais os seus clientes estão preocupados. Uma marca deve ter valores. Não aqueles cheios de palavras bonitas escritas em planos estratégicos. Valores que dialogam com a sociedade em que estão inseridas. Deve ter responsabilidade social.

Em blogs de marketing você vai encontrar várias dicas sobre como humanizar a sua marca. Eles vão falar de branding, de atendimento humanizado, de mostrar um lado descontraído da empresa. Por isso, eles ensinam a acompanhar as gírias que estão sendo usadas, a chamar o cliente pelo primeiro nome mesmo em atendimentos feitos por robô e em e-mail marketing. Vão citar a Netflix como um grande exemplo de sucesso.

Humanizar uma marca não é fazer com que os robôs pareçam humanos. É mostrar que ela está conectada com os anseios do seu público. Mostrar que é feita com humanos engajados em boas causas em todos os seus processos internos e externos.

Como disse a estrategista de marketing digital e defensora do marketing humanizado Liliane Ferrari:

Se uma marca quer se tornar humanizada de verdade ela precisa estar disposta a rever todos os seus processos de dentro para fora.

E como humanizar os processos da minha marca?

Humanização tem a ver com as relações duradouras que a marca cultiva. Relação com o cliente, seguidores e audiência, com os fornecedores e com a sua própria equipe. Não é sobre fazer posts bonitos, é sobre ação!

  • Não adianta vender leveza, ancestralidade e feminilidade se as empresas com as quais você trabalha exploram a mão de obra de outros trabalhadores.
  • Como falar de autocuidado se as pessoas da equipe estão sofrendo com depressão, ansiedade e outras fobias causadas pela rotina intensa de trabalho?
  • Como agradecer às mães no dia dia delas se as mães que trabalham com você sofrem assédio, não são promovidas e até demitidas na volta da licença maternidade?

Adote atitudes positivas o ano inteiro, não só nas datas comemorativas. Trabalhe com influenciadores negros o ano inteiro, não só no mês da Consciência Negra. Incentive a diversidade e a contratação de pessoas com deficiência. Levante a bandeira LBGTQIA e também promova um espaço saudável sem assédio e com liberdade para que todas as pessoas sejam livres na forma de se expressar. Valorize todos os corpos. Estimule o cuidado com o corpo e com a saúde mental.

Não escolha somente os mais capacitados, enxergue os potenciais e dê subsídios para que eles possam crescer na carreira que escolheram. Uma marca humanizada é aquela feita por pessoas e para pessoas, dentro e fora das redes. É uma longa caminhada, que com certeza vai gerar bons frutos.

E aí, qual é a marca que você mais curte o conteúdo? Aquela que você bota fé no posicionamento porque sabe que não é da boca para fora? Que valoriza a diversidade? Conta pra gente!

Foto: @senivpetro/Freepik.com

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Gentrificação
História Anterior

De que falamos quando falamos de gentrificação?

projetos de financiamento coletivo para você apoiar agora
Próxima História

6 projetos de financiamento coletivo para você apoiar agora