banco de imagens disabled and here

5 bancos de imagens cheios de diversidade para você usar

Começar
Tempo de Leitura: 4 minutos

Profissionais da comunicação que buscam diversidade nas imagens dos conteúdos que produzem podem sentir uma certa frustração ao encontrar com facilidade fotos e vídeos com pessoas brancas e ter dificuldade, ou mesmo não encontrar, fotos de pessoas negras, pessoas com deficiência em uma tarefa comum, pessoas gordas retratadas positivamente. Por isso, para espalhar a diversidade por aí, nós compartilhamos 5 bancos de imagens gratuitos para você se inspirar, usar no trabalho e nas suas redes sociais! Lembre-se de consultar as políticas de uso e dar os crédios sempre que usar, ok?

1. Nappy

banco de imagens nappy
Nappy

Nappy é um banco de imagens criado pela empresa americana Shade, uma agência de marketing de influência que trabalha com influencers negros. Suas imagens são bonitas, de alta qualidade e retratam as mais variadas nuances das vidas das pessoas negras. Vale a pena conferir!

Visite: nappy.co

2. DiCampana Foto coletivo

banco de imagens DiCampana
DiCampana

Já parou para pensar que a maior parte das fotos que encontramos sobre a periferia estão ligadas à violência e pobreza? O coletivo DiCampana quer fazer a sua própria narrativa e mostrar que a periferia é muito mais que isso. A favela tem cultura, esporte, movimento, cotidiano, beleza e afeto!

Visite: Coletivo DiCampana

3. Disabled and Here

banco de imagens disabled and here
Disabled and Here

É raro encontrar boas fotos de pessoas com deficiência em situações cotidianas em que elas não são colocadas em posição vulnerável. Por isso, a galeria de imagens Disabled and Here do projeto Affect the Verb estão aqui para mudar essa visão. Lá, você encontra fotos de pessoas com deficiência empoderadas, celebrando com orgulho aquilo que são e também em atividades cotidianas, como cozinhando e passando maquiagem. Disabled and Here também está engajado na inserção positiva da imagem de pessoas negras e indígenas na mídia. É incrível!

Acesse: Disabled and Here

4. Tem Que Ter

banco de imagens tem que ter
Tem Que Ter

Esse banco tem como missão inserir imagens que representem a comunidade LGBTI de uma forma positiva e muito orgulhosa daquilo que cada um é. São imagens simples e reais do cotidiano que podem representar aquele momento que você não encontra nos bancos de imagens tradicionais.

Acesse: Tem Que Ter

5. Gender Spectrum Collection

banco de imagens
Photo by Zackary Drucker as part of Broadly’s Gender Spectrum Collection. Credit: The Gender Spectrum Collection. Made available to media outlets via Creative Commons. No derivatives, no commercial use. See guidelines here: broadlygenderphotos.vice.com/guidelines

O projeto da Vice é audacioso: um banco de imagens com fotos de pessoas trans e não binárias em situações do cotidiano. As fotos retratam ambientes de trabalho, relações entre pessoas amigas e companheiras, tecnologia, praticando atividade física, indo ao médico e até tirando cartas de tarô! 

Acesse: Gender Spectrum Collection

Por que buscar fotos com diversidade para o meu conteúdo?

Porque você precisa se conectar com as pessoas que seguem a sua marca, leem, ouvem e compartilham o que você produz. É provável que a maior parte do seu público-alvo não seja como as modelos de passarela ou de capa de revista com o corpo dito perfeito (oi, Photoshop!). São pessoas comuns. Se metade da população brasileira se considera negra ou parda, porque só ter fotos de pessoas brancas no Instagram da sua empresa? Por que excluir pessoas com deficiência da sua campanha se elas são milhões de pessoas, no Brasil? Cada um precisa fazer a sua parte para que as pessoas se sintam representadas nos meios de comunicação. 

Dica de ouro para usar as fotos com representatividade

Agora que você já sabe da importância da representatividade no conteúdo que você produz e já conhece alguns lugares onde pode buscar fotos, é hora de expandir os horizontes! A dica de ouro é não delimitar o uso das imagens a um conteúdo específico. Você não precisa falar especificamente de mulheres lésbicas para usar uma foto em que duas mulheres estão se relacionando. Você não precisa usar as fotos das pessoas com deficiência somente quando for falar de deficiência! Rompa com os padrões!

Usar fotos de várias vivências é uma forma de humanizar o conteúdo que você produz. Mas saiba que esse é um longo caminho, que começa nos processos internos. Não adianta celebrar as pessoas com deficiência e não contratá-las para sua equipe, por exemplo! Veja o nosso post sobre assunto! Marca humanizada de dentro para fora

Ericka Guimarães

Uma deusa, uma louca, uma feiticeira

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

História Anterior

20 produções para assistir e valorizar o cinema brasileiro

Próxima História

Como fazer descrição de imagem do jeito certo